O homem e seus medos

A cada jornada uma nova dificuldade, a cada geração novos desafios, os anos passam e o mundo fica diferente, tudo à nossa volta se transforma. E o homem, também acompanha essas mudanças ou continua o mesmo? É evidente que não somos os mesmos e não é necessária uma antropologia muito profunda para descobrir, o que não significa que todas as mudanças foram para melhor, mas também, não podemos negar que as perguntas de Parmênides sobre o ser, o homem, sua origem e várias outras ainda não possuem uma resposta que sacie plenamente nossa consciência.
A cada dúvida uma incerteza e essas trazem consigo os seus medos. É fato que em tempos difíceis como o que passamos alguns medos foram potencializados se assim podemos dizer. Apesar de não existir nenhuma dúvida e a experiência nos mostra isso, a morte ainda é um dos maiores medos do homem contemporâneo, medo esse com qual já dialogava milhares de anos atrás, e continua sendo assombroso para muitos. Mas se todos sabemos que vamos morrer por qual motivo isso nos amedronta tanto?
Uma resposta rápida e bem razoável seria a falta de conhecimento do que vem depois, isso se dar por não possuirmos muitos relatos confiáveis de quem já se foi. Mas em uma análise dessa unidade tão complexa, que chamamos de humano, podemos ver uma parte que é carne, que assim como tudo ao nosso redor, o tempo destrói. Mas além disso, podemos ver uma parte que nos diferencia de todo o resto e que nos aponta uma eternidade, um desejo interno e natural de viver para sempre. Desejo esse que é impossível de ser interpretado apenas pelas leis da física, a ciência humana explicará uma poesia. A inteligência humana nunca será superada ou substituída, esse é nosso elo com eterno que nos afasta das coisas materiais, esse deve ser o ponto de partida para superar esse medo, e assim cada homem em sua individualidade pode ser capaz de achar suas respostas para perguntas tão antigas.

Compartilhe essa publicação, clicando nos botões abaixo:

Sobre Carlos Bruschi

Filósofo Licenciado, Pós Graduado em Direitos Humanos e Política Étnico-Raciais; e Colunista no portal Direto Notícias. Todo o conteúdo criado e publicado por mim, é de minha inteira responsabilidade. Artigos de opinião e notícias checadas e publicadas por mim, não expressam necessariamente a opinião do Direto Notícias, ou sua posição.

Veja Também

Por que a imigração é a espinha dorsal dos EUA?

Por que a imigração é a espinha dorsal dos EUA?

Os EUA são conhecidos como uma nação construída por imigrantes. O Centro para Estudos Imigratórios …