Com mais quatro nomes, Bolsa Pódio chega a 357 atletas em 2022

           Portaria publicada nesta quarta-feira (27/07), inclui integrantes da categoria 470 mista da vela, que estreia nos Jogos Paris 2024, na lista de contemplados na categoria principal do Bolsa Atleta.

Uma das novidades do programa dos Jogos Olímpicos de Paris 2024, a classe 470 mista da vela teve os primeiros quatro aprovados na Bolsa Pódio divulgados nesta quarta-feira (27/07), a partir da publicação da Portaria MC nº 798 no Diário Oficial da União.

Com isso, as duplas Ana Luiza Barbachan e Rodrigo Linck e Rafael Martins Silva e Juliana Duque passam a integrar a principal categoria do Bolsa Atleta do Ministério da Cidadania. A Classe 470 já fazia parte do “cardápio” olímpico, mas antes era dividida entre masculino e feminino.

A categoria Pódio tem edital específico e é voltada a atletas com maior potencial de destaque em competições internacionais. Um dos critérios de indicação é que os candidatos estejam entre os 20 melhores do mundo em suas modalidades.

A partir das quatro inclusões, a Bolsa Pódio passa a contar com 357 contemplados. São 163 atletas de modalidades olímpicas e 194 das paralímpicas. Há 199 homens e 158 mulheres.

Além disso, há 6.410 outros esportistas nas faixas “convencionais” do Bolsa Atleta, divididos entre as categorias Base (292), Estudantil (241), Nacional (4.788), Internacional (847) e Olímpica/Paralímpica (242). São 3.570 homens (55,7%) e 2.840 mulheres (44,3%). Um total de 4.807 praticam modalidades olímpicas e 1.603 se dedicam a esportes do programa paralímpico.

No somatório dos dois editais, o investimento anual do Ministério da Cidadania nos programas Bolsa Atleta + Bolsa Pódio é de R$ 129,4 milhões e contempla 6.763 atletas.

Relevância comprovada

A abrangência e relevância do Bolsa Atleta pode ser medida pelos resultados nacionais nas principais competições. Nos Jogos de Tóquio, por exemplo, 80% dos integrantes da delegação olímpica e 95% da paralímpica eram bolsistas.

Nos Jogos Olímpicos, o país conquistou 21 medalhas (sete ouros, seis pratas e oito bronzes), em 13 modalidades. O resultado significou a 12ª colocação no quadro de medalhas. Em 19 dos 21 pódios (90,45%), os atletas recebiam a Bolsa Atleta. As exceções foram o futebol masculino, que não integra o programa, e a prata de Rayssa Machado, no skate.

A “Fadinha” só não fazia parte do programa porque ainda não tinha a idade mínima determinada pela legislação: 14 anos. Como completou a idade mínima, Rayssa passou a figurar na lista da Bolsa Pódio em fevereiro de 2022.

Nas Paralimpíadas, foram 72 medalhas (22 ouros, 20 pratas e 30 bronzes) conquistadas, o que rendeu a sétima posição no quadro de medalhas ao Brasil. Os bolsistas representaram 68 dos 72 pódios conquistados: 94,4% do total.

Mais recentemente, no Mundial de Atletismo que se encerrou no último domingo (24/07), o Brasil teve 13 atletas no top 8 da competição, com dois medalhistas: Alison dos Santos foi ouro nos 400m com barreiras e Letícia Oro Melo terminou com o bronze no salto em distância. Em número de pontos, foi a melhor campanha do país na história dos mundiais. Os 13 atletas do top 8 tiveram os nomes publicados num total de 85 ocasiões em editais do Bolsa Atleta.

 

fonte: Ministério da Cidadania

Sobre Direto Noticias

Portal Direto Noticias - Imparcial, Transparente e Direto. https://diretonoticias.com.br - Notícias de Guarapari, ES e Brasil. Ative as notificações ao entrar e torne-se um seguidor. Caso prefira receber notícias por email, inscreva-se em nossa Newsletter, ou em nossas redes.

Veja Também

A verdade sobre a Varíola dos Macacos

A verdade sobre a Varíola dos Macacos

Dr Paulo Porto expõe a verdade sobre a Varíola dos Macacos (ou varíola do Bill …