Ministério da Agricultura desarticula fraudadores de azeite

      MAPA e PC fazem balanço da operação que desarticulou rede de fraudadores de azeite de oliva em todo o país…

Investigação começou em 2019, quando a Decon desarticulou uma organização criminosa especializada na adulteração de azeites de oliva que atuava no Espírito Santo.

A Delegacia de Defesa do Consumidor (Decon) da Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), em ação com a superintendência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), desarticulou uma rede de fraudadores de azeite de oliva em todo o País, que resultou na apreensão de 150 mil garrafas e na proibição de venda de 24 marcas de azeite de oliva fraudadas.

A investigação sobre azeites irregulares começou em 2019, quando a Decon desarticulou uma organização criminosa especializada na adulteração de azeites de oliva, que atuava dentro do Estado, prendendo um dos maiores fraudadores do País, que já foi indiciado e responde por cinco processos criminais. Além disso, havia quatro empresas com sede no Espírito Santo que estavam envolvidas em fraude fiscal.

Neste ano, entre julho e dezembro, foram realizadas 12 fiscalizações em estabelecimentos comerciais no Estado. “A ação visa a proteger o consumidor de adquirir um produto falsificado, que pode ser impróprio ao consumo ou ter seu valor nutricional reduzido. A vigilância permanente permite inibir a entrada de mercadorias ruins no Estado e a punição rápida dos culpados”, informou o titular da Delegacia de Defesa do Consumidor (Decon), delegado Eduardo Passamani.

Durante as investigações do caso, o Ministério da Agricultura e a Decon realizaram ações para identificar as marcas e a origem dos produtos fraudados e que eram vendidos no Espírito Santo. Com o suporte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), vigilâncias sanitárias e Polícia Civil, a ação do Ministério da Agricultura se expandiu aos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Paraná, onde foram apreendidas as 150 mil garrafas.

No Espírito Santo, foram inspecionadas 36 marcas diferentes, sendo que sete se mostraram irregulares e 29 estavam conformes.

clique p/ ampliar

Marcas irregulares:

– TRÊS PASTORES (Guaramix Com E Distr)
– QUINTA DAS OLIVEIRAS (Guaramix Com E Distr)
– ROYAL (MERJ Imp e Dist EIRELI )
– TRADIÇÃO BRASILEIRA (Monções Ind e Com)
– BARCELONA VITRAIS (Monções Ind e Com)
– DEL TORO (Salamanca Imp e Exp)
– TORRE GALIZA (Miraki Distr. Imp. e Exp.)

Marcas aprovadas:

– Andorinha Extra Virgem Seleção
– ÂNFORA
– BARCELOS
– Biondo
– Borges extra virgem
– CANTO DO OLIVAL
– CARAVELA
– Cocinero
– Coimbra
– Coosur
– Costa D’Oro Grezzo
– Filippo Berio
– Gallo extra virgem
– Gallo reserva
– Galo tipo único
– Gomes da Costa
– La Rivera
– MINOS – CHANIA KRITIS
– O-live Extra Virgem
– O-live orgânico
– Pramesa
– Rivoli
– SANFREDIANO
– Sardoliva cook
– Sardoliva Extra Virgem
– Serrata
– Terra Creta
– Vale Fértil Premium
– Vila Flor

A Superintendência Federal de Agricultura (SFA-ES) no Espírito Santo faz um alerta para que os consumidores não comprem os azeites dessas marcas divulgadas pelo Mapa como irregulares, uma vez que o produto pode trazer riscos à saúde. Mais informações sobre o assunto podem ser obtidas no site: www.agricultura.gov.br

Sobre Direto Noticias

Portal Direto Noticias - Imparcial, Transparente e Direto. https://diretonoticias.com.br - Notícias de Guarapari, ES e Brasil. Ative as notificações ao entrar e torne-se um seguidor. Caso prefira receber notícias por email, inscreva-se em nossa Newsletter, ou em nossas redes.

Veja Também

Documento apresenta parâmetro para que gestores levem Internet adequada às escolas públicas

Qual a velocidade de banda larga ideal para garantir a realização de atividades pedagógicas nas …