Empresa realiza projeto de IoT em cidades inteligentes no Brasil

Empresa realiza projeto de IoT em cidades inteligentes no Brasil

                    Principais soluções são relacionadas à automação e controle remoto de gasto de energia, além de sistemas de segurança e alimentação automática de pets
A Planet Smart City, proptech ítalo-britânica líder no desenvolvimento e construção de cidades e condomínios inteligentes no Brasil e no mundo, está na reta final de seu projeto piloto para implementação de soluções de IoT (internet das coisas) em seus condomínios residenciais. No Brasil, a empresa conta com seis empreendimentos, sendo dois em operação no Ceará; um no Rio Grande do Norte; e três na capital paulista.

Há cerca de dois anos, a companhia iniciou um laboratório de testes com 12 casas da Smart City Laguna, no Ceará, para implementar soluções relacionadas à automação e controle remoto de energia elétrica, tendo como principal objetivo a redução do consumo, e também para sistemas de segurança (câmeras e fechaduras eletrônicas).

Na frente de automação e controle de energia elétrica, a empresa inseriu no projeto um gadget chamado Smart Plug, que se parece um conector em T, e que plugado à equipamentos da casa, permite, por exemplo, ligá-los e desligá-los remotamente ou até programar para desligar a partir de um determinado volume de consumo. Seguindo as recomendações do sistema, é possível diminuir a conta de energia em até 25%.

Já o sistema de segurança, que disponibiliza câmeras ligadas a uma central de monitoramento e alarme, também pode ser conectado ao smart plug e ativar o sensor remotamente para acendimento das luzes. A ferramenta também permite acender ou apagar uma luz dentro de casa, mesmo que ela esteja vazia, com o objetivo de simular a presença do proprietário no imóvel, ou evitar o esquecimento de luzes acesas, por exemplo.

Nesse ecossistema de tecnologia, até os pets podem ser beneficiados. A empresa tem entre os dispositivos do projeto, um alimentador de cachorros inteligente, que porciona e libera uma quantidade pré-determinada de ração por dia. O alimento fica protegido em um reservatório, disponibilizando apenas a quantidade exata que o cachorro irá comer, nos horários estabelecidos. Também é possível abrir uma câmera, que fica acoplada no equipamento com um alto-falante, possibilitando monitorar e conversar com o pet.

As vantagens de morar em uma casa com IoT integrada vão além da economia na conta de energia. Ela permite a criação de um ecossistema sustentável e colaborativo, em que os moradores aprendem na prática os benefícios da tecnologia em favor do meio ambiente. A ideia é promover o hábito de monitorar e otimizar o próprio consumo de energia (e futuramente de água também). A automação residencial consegue prover dados de consumo para que o morador possa entender e regular seu uso frequentemente. Falando em moradias acessíveis e cidades inteligentes, é importante que a comunidade da Smart City faça cada vez mais escolhas sustentáveis.

Com esses testes, a empresa desenvolveu 4 kits para implementação de IoT nas residências das Smart Cities, que serão comercializados por meio de assinaturas no regime de comodato (semelhante à assinaturas aparelhos de internet), em breve, pela própria empresa para os moradores, por valores acessíveis e parcelados. A ideia é que no futuro, todos esses serviços possam ser controlados diretamente do Planet App, que hoje atua como um painel de controle da cidade, onde os moradores podem acessar programações e atividades, além de reservar espaços compartilhados e até mesmo fazer negócios com outros moradores.

Os kits podem conter itens como câmeras, sistemas de iluminação, alarmes e fechaduras inteligentes e podem ser combinados de acordo com a necessidade do cliente. Todos esses sistemas que monitoram energia contam com inteligência artificial integrada a IoT, visto que possibilita o armazenamento de dados de consumo na nuvem e tem capacidade para gerar padrões de resposta referentes aos dispositivos, possibilitando também o monitoramento do tempo de vida útil dos equipamentos e dos gastos de energia.

“Queremos mostrar que o acesso a moradias com tecnologia integrada pode ser uma ferramenta de inclusão e sustentabilidade. Trazemos o conceito de automação residencial e IoT com o objetivo de ajudar a moldar novos hábitos e limitar gastos desnecessários, promovendo o desenvolvimento econômico e social dessas comunidades. Além, é claro, de reforçar a segurança e tornar a rotina da casa programável à distância”, explica Pedro Braida, Head de IoT Brasil na Planet Smart City.

Fundada em 2015, a companhia investiu em 2022 mais de R$ 122 milhões na construção de smart cities no país. Para este ano, a projeção de faturamento é de R$ 300 milhões, com um investimento de cerca de R$ 140 milhões. Desde sua fundação, a empresa recebeu aportes totais de US$ 176 milhões, realizados por mais de 400 investidores.

Sobre a Planet Smart City

A Planet Smart City foi fundada em 2015 pelos especialistas imobiliários italianos Giovanni Savio e Susanna Marchionni. Líder global em Cidades Inteligentes Inclusivas, a companhia tem sede em Londres, com escritórios na Itália, Brasil, Reino Unido e Índia. No Brasil, a companhia conta com sete projetos, sendo dois empreendimentos em operação no Ceará; um no Rio Grande do Norte; e quatro na capital paulista.

fonte: index

Compartilhe essa publicação, clicando nos botões abaixo:

Sobre Redação

Portal Direto Noticias - Imparcial, Transparente e Direto | https://diretonoticias.com.br | Notícias de Guarapari, ES e Brasil. Ative as notificações ao entrar e torne-se um seguidor. Caso prefira receber notícias por email, inscreva-se em nossa Newsletter, ou em nossas redes:

Veja Também

Patex: "Melhor Ecossistema Blockchain do Ano" no Future Innovation Summit

Patex: “Melhor Ecossistema Blockchain do Ano” no Future Innovation Summit

A Patex, plataforma cripto completa com mais de 10 produtos para empresas e usuários, foi …