Cristãos na política: A parábola das árvores

Quando olhamos para a história, pensamos: Por que é tão raro encontrarmos políticos e governantes, que não se aproveitaram do seu cargo para benefício pessoal? Por que é tão raro encontrarmos políticos, que não fizeram o bem para todos em geral? E Por que é tão raro, encontrarmos políticos que ao menos não foram corruptos?
No entanto, a história também nos traz algumas respostas. Na bíblia, por exemplo, no livro de juízes, existe uma parábola que se aplica muito bem à essa situação, e até mesmo, ao que nós vemos e reclamamos tanto nos dias de hoje. Essa parábola narra  uma história de quando as árvores resolveram procurar um rei para governá-los. Uma parábola, é uma forma de se explicar algo um pouco mais difícil, de forma bem mais simples, através de um conto.


Essa referida parábola, conta uma historia, que visa à explicar algumas das razões principais, porque o povo muitas vezes sofre tanto de baixo da maioria dos governantes. Mas antes contar a parábola, vamos procurar entender o contexto da época. O que estava acontecendo entre eles?

O rei Gideão, havia acabado de morrer, e ele tinha sido um grande líder, que libertou a nação de Israel de vários dos seus inimigos. E enquanto ele viveu, havia paz em toda nação. E esse fato aconteceu enquanto o Rei Gideão viveu e governou. No entanto, o problema aconteceu justamente depois que Gideão morreu, e um de seus filhos, Abimeleque, queria ficar reinado sozinho em seu lugar. Porem, quando Gideão ainda estava vivo, Gedeão afirmou que nenhum de seus filhos governaria Israel. Pois ele queria que o povo seguisse à Deus como líder. No entanto, Abimeleque se pos a entender o que o povo queria um líder, que eles pudessem ver.


E Abimeleque, sedento e cego em busca do  poder a todo custo, queria o trono da nação somente para ele. Porem havia um problema. Gideão tinha muitos filhos. Na verdade tinha oito filhos. Então vendo Abimeleque que seus irmãos seriam potenciais concorrentes. Ele armou uma cilada para eles, e matou a todos.

Somente um de seus irmãos conseguiu escapar vivo. Jotão, o filho mais novo. E foi justamente ele quem questão de fazer um alerta ao povo de Israel, sobre o que estava prestes a acontecer, se eles permitissem que o irmão Abimeleque governasse. E foi justamente diante dessa situação, que Jotão contou para o povo essa parábola.

Parábola das árvores (Jz 9:7-15)

Uma vez, as árvores resolveram procurar um rei, para que elas o escolherem para governá-las. Dessa forma, as árvores saíram a procuram um líder, um governante. Então as arvores procuraram a Oliveira e pediram à ela: Seja nosso rei? E Oliveira respondeu: Para governar à vocês, eu vou ter que parar de dar o meu azeite, que é tão usado para agradar a Deus e os homens.

Aí as árvores procuraram a Figueira e pediram a ela: Venha ser o nosso rei? No entanto, a Figueira respondeu: Para governar vocês, eu teria que parar de dar os meus figos tão doces, que agradam a Deus e aos homens.

Então, as árvores procuram a videira, e disseram para ela: Venha ser nosso rei? Mas a videira respondeu: Para governar vocês, eu teria que parar de dar o meu vinho, que alegra à Deus e aos homens.

Daí então, todas as árvores foram pedir ao Espinheiro: Venha ser o nosso rei? O espinheiro respondeu: Se vocês querem mesmo que eu seja o seu rei, vocês terão que confia em mim e ficarem debaixo da minha sombra, e se não fizerem isso, sairá fogo do Espinheiro, e queimará a todas as árvores por aqui.

Algumas lições, nós podemos aprender com essa parábola, e trazer para nossos dias atuais. E as respostas, para muitas dessas perguntas feitas no inicio do artigo, ficam bem claras.

A primeira lição que aprendemos, é que a omissão dos bons, permite que os maus subam ao poder. Afinal sabemos que o erro de muitas pessoas de bem, especialmente os cristãos. é achar que Deus faz tudo sozinho. Dai se omitem de lutar. Na verdade Deus nunca faz nada sozinho. Ele usa pessoas para fazer a sua vontade aqui na terra.

A segunda lição que aprendemos, é que quando há uma boa opção de escolha entre os que querem governar, o povo acaba escolhendo o pior opção. É como na parábola: Os que tem algo de bom pra oferecer, costumam se escusar dos cargos de governo. Assim, deixam um espaço para os espinheiros ocuparem. Quantas vezes numa eleição, você já teve que escolher o menos pior? Quem vai espetar menos?

A terceira lição nós aprendemos com essa parábola, é que quando os maus governam, todos, incluindo os bons e os maus, ficam debaixo da sua autoridade, gostando ou não. E uma vez no poder, os espinheiros acabam criando leis e tomando decisões, que ferem à todos. Exceto é claro à ele mesmo, e aos que o apoiam.


A parábola das árvores, reforça para todos nós, uma velha lição. Não é ação dos maus, que destrói o mundo. E sim, a falta de atitude dos bons. Como cristão, nunca se omita do processo de eleger seus governantes. E sempre verifique se ele tem uma história de uma vida, verdadeiramente alinhada com os princípios de Deus e da família. Se não, todos nós, especialmente os nossos filhos, irão sofrer amargamente.

Sobre Marcelo de Medeiros

Articulista no portal Direto Notícias - Todo o conteúdo criado e publicado por mim, é de minha inteira responsabilidade. Artigos de opinião e notícias checadas e publicadas por mim, não expressam necessariamente a opinião do Direto Notícias, ou sua posição.

Veja Também

Vantagens de começar uma faculdade no meio do ano

Quando falamos sobre o ingresso à universidade, é comum que a maioria tenha preferência por …